super sequenciadores tema interna

Um dos grandes desafios da saúde pública do novo século é o combate e prevenção das doenças infecciosas emergentes e re-emergentes. Além das doenças conhecidas que tiveram seus agentes etiológicos identificados recentemente, e das doenças que estavam sobre controle e reapareceram. Mudanças de estilo de vida da população humana e/ou climáticas e ambientais têm efeito direto no surgimento destas doenças. Muitas destas doenças ainda apresentam agente infeccioso, reservatório e possível(is) vetor(es) ainda desconhecidos. Além disso, é esperado que novas doenças e patógenos atinjam a população humana ao longo do tempo.

No meio da década passada, novas metodologias de sequenciamento foram desenvolvidas, sendo conhecidas como NGS, que permitem sequenciar genomas de forma paralela, a um custo e tempo inferiores ao método de Sanger . Em 2007, com o advento desta nova tecnologia, um genoma humano podia ser sequenciado ao custo de 10 milhões de dólares, enquanto em 2010 o custo caiu para 50 mil doláres. Hoje o genoma humano pode ser sequenciado em poucos dias por apenas 5 mil dólares. A nova tecnologia nos permite avaliar de forma mais precisa, redes de milhares de genes simultaneamente ao invés de focar em apenas genes únicos ou pequenos conjuntos gênicos.

A metagenômica viral combinada com a seqüenciamento de nova geração (“next-generation sequencing” ou NGS) aparece como uma abordagem promissora para identificação de vírus novos e/ou inesperados que podem ameaçar a população humana e também a segurança de transfusão de sangue. Esta nova tecnologia também pode ser aplicada na área de câncer e medicina personalizada na tentativa de identificar a presença de genes defeituosos nos indivíduos que posam a levar a patologias serias ao longo da vida e ou fazer terapias mais ajustadas.

 

amilcar tanuri 120x120 2018A palestra “Super sequenciadores” – Potencial de aplicação para o segmento de diagnóstico será ministrada por Amilcar Tanuri

bullet azulDia 10/5, quinta-feira

bullet azul9h40