inteligencia artificial tema interna

A inteligência artificial é uma das grandes promessas do futuro com impacto em várias indústrias – e a farmacêutica não é exceção à regra. Supercomputadores como o IBM Watson são capazes de recolher e interpretar big data e ajudar as grandes farmacêuticas no desenvolvimento de novos medicamentos ou modificação de antigos.

Grande parte das farmacêuticas estabeleceu, por isso, parcerias com a IBM, como são exemplo a Johnson & Johnson (J&J) e a Sanofi, que têm recorrido ao Watson para acelerar a Investigação e Desenvolvimento. A J&J procura que o Watson leia e compreenda uma grande quantidade de artigos científicos que detalham os resultados de testes clínicos usados para desenvolver e avaliar medicações ou tratamentos; enquanto a Sanofi tem a intenção de descobrir indicações alternativas para medicamentos existentes. Mais recentemente, a Pfizer também criou uma parceria com a IBM para promover avanços na cura do Parkinson. Várias empresas especializadas em aplicação da inteligência artificial estão surgindo alavancando o potencial das bibliotecas de compostos tanto para a busca de novas moléculas quanto para novas aplicações. O potencial vai alterar radicalmente a forma como as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação são organizadas e gerenciadas.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, escreveu em dezembero de 21017 o artigo "Indústria 2027: o futuro é agora" em que afirma:

"Conectada ao big data e à inteligência artificial, a biotecnologia sintética está transformando as agroindústrias, a indústria química e a farmacêutica, por exemplo. O preço dessas tecnologias está em queda acentuada, assim como o de nanotecnologias, redes de comunicação e materiais avançados. Para se ter uma ideia, o custo de exames de DNA cai de forma mais acelerada do que o da fabricação de chips."

O mercado da inteligência artificial no campo da saúde está em expansão, impulsionado pelos gigantes do Vale do Silício e por startups.

Este setor poderia “alcançar 6,6 bilhões de dólares em 2021, em comparação com 634 milhões em 2014”, estima a empresa Frost & Sullivan, apontando que, ao ajudar a diagnosticar e detectar doenças precocemente, a inteligência artificial (IA) permitirá reduzir os gastos em saúde.

 

augusto c gadelha vieira 120x120A palestra “Aceleração de projetos da indústria biofarmacêutica na era da inteligência artificial” será ministrada por Augusto C. Gadelha Vieira

bullet azulDia 9/5, quarta-feira

bullet azul14h40