Dentro da programação do Innovation Hub, aconteceu o Simpósio Satélite da GE Healthcare na manhã do dia 8 de maio, no IV International Symposium on Immunobiologicals, no Museu do Amanhã. A palestra foi sobre o futuro e as tendências de produção dos vetores virais em vacinas. Para falar sobre o assunto, foi convidado o gerente técnico global da empresa, Patrick Guertin.

"Ao analisar as tendências de mercado, vemos que as empresas estão, cada vez mais, abrindo as mentes para novas aplicações e mecanismos na produção dos imunobiológicos. A intenção é aumentar a qualidade de vida das pessoas, diminuir os eventos adversos, e, para isso, precisamos continuar estudando terapias diferentes”, enalteceu Guertin.

 

simposio satelite ge

O Simpósio Satélite da GE Healthcare lotou a sala do 
Innovation Hub. Imagem: Bernardo Portella - Ascom / 
Bio-Manguinhos

 

Para que os processos de fabricação sejam mais eficientes e racionais, as empresas devem investir em novas tecnologias de escalonamento, qualidade no design de produção com máquinas operando de forma mais planejada, com um sistema flexível. “É importante analisar as necessidades do mercado e adaptar seu cronograma de produção conforme as epidemias, por exemplo. Aumentar a capacidade produtiva, tendo uma maior segurança, diminuindo custos e evitando contaminações cruzadas. Este é o grande desafio”, disse.

Muitas empresas estão testando diferentes designs de produção, comprando mais equipamentos de uso único para otimizar os processos. “As empresas também estão levando em conta o uso inteligente de recursos como água e energia, considerando o meio ambiente”, ressaltou Guertin.

O que se vê no mercado atualmente são as organizações estudando as características de cada célula e vendo se seus benefícios valem a pena, evitando componentes animais. “Estudar cada etapa de produção (clarificação, purificação, formulação, entre outras) é essencial para pensar em alternativas mais otimizadas e baratas. Se você conseguir produzir três lotes de vacinas a mais por ano já vai fazer diferença em seu orçamento”, frisou o gerente.

 

Jornalista: Gabriella Ponte